quinta-feira, 29 de março de 2007

Cronologia


1851 Em 28 de julho, nasce em Santo Amaro da Purificação Manuel Raimundo Querino, filho (possivelmente adotivo) de pais livres - o carpinteiro José Joaquim dos Santos Querino e Luzia da Rocha Pita
1855 Epidemia de cólera morbus deixa Manuel Querino órfão; Prof. Manoel Correia Garcia – educador, deputado do Partido Liberal e pesquisador de História – é nomeado seu tutor
1865 Começa a Guerra da Tripla Aliança contra o Paraguai; Manoel Correia Garcia é fundador do Instituto Histórico Provincial
1868 Enquanto viaja pelo Nordeste à procura de oportunidades, MQ é recrutado no Piauí, mas “Graças à boa letra, à formação intelectual e ao porte físico franzino, Querino é designado para ficar na escrita do batalhão” (Correio da Bahia) no Rio, chegando a Cabo de Esquadra
1870 Fim da Guerra da Tripla Aliança
1871 Lei do Ventre Livre; MQ volta para a Bahia, desmobilizado graças ao seu padrinho, o Conselheiro Manuel Pinto Sousa Dantas, líder do Partido Liberal da Província da Bahia; MQ começa a trabalhar como pintor e decorador na Bahia e se envolve na política
1872 Freqüenta o Liceu a noite, estudando humanidades com distinção em francês e aprovação plena em português
1874 Já com 23 anos, ajuda a estabelecer a Liga Operária Baiana
1876 Início de sua trajetória política; Liga Operária Baiana criada em 26 de novembro
1877 MQ participa da criação e instalação da Escola de Belas Artes como aluno fundador, seguindo seu mestre, Miguel Navarro y Cañizares, quando este se desentende com o Liceu
1881/84 Estuda na Escola de Belas Artes
1882 Diploma-se em desenho industrial.
1883 Matricula-se no curso de arquitetura, Modelos de casas escolares adaptadas ao clima do Brasil apresentados ao Congresso Pedagógico do Rio de Janeiro, acompanhados de desenhos explicativos
1885 Ensina desenho geométrico no Liceu de Artes e Ofícios da Bahia e no Colégio de Órfãos de São Joaquim; torna-se sócio benemérito do Liceu; junta-se aos abolicionistas Frederico Marinho de Araújo, Eduardo Carigé e outros.
1887/88 MQ funda o jornal A Província
1888 Lei Áurea decreta, em 13 de maio, o fim da escravidão no Brasil
1888/95 Funcionário público – Departamento de Obras; projeta as bondes de Salvador
1889 Declaração da República
1890/91 Primeiro mandato de MQ como vereador
1892 MQ funda o jornal O Trabalho
1884 Fundação do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, da qual MQ é sócio fundador
1896 Trabalha no Departamento de Agricultura até se aposentar em 1916
1897/99 Segundo mandato como vereador
1899 Deixa a política e se dedica ao estudo da história, cultura e folclore da Bahia e do africano no Brasil
1900 Faz parte da diretoria do grupo carnavalesco "Pândegos da África"
1903 Publicação de Desenho linear das classes elementares, "mandado admitir nas escolas por deliberação do Conselho Municipal da Capital" (Artistas Baianos, 2a ed., 1911, p. 148).
1909 Lançamento de Artistas bahianos e As artes na Bahia
1911 Elementos de desenho geométrico e a segunda edição de Artistas bahianos
1913 Segunda edição de As artes na Bahia
1914 Bailes pastoris
1916 A Bahia de outrora e A raça africana e os seus costumes na Bahia
1918 “O colono preto como fator da civilização brasileira”
1922 Segunda edição de A Bahia de outrora
1923 A Revista do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (no. 48) publica um artigo da autoria de Prof. Manoel Querino, intitulado "Os homens de cor preta na História"
Manuel Querino morre no dia 14 de fevereiro, deixando a viúva, Laura (sua segunda esposa) e dois filhos vivos
1928 A arte culinária na Bahia; 13 de maio, o IGHB coloca seu retrato na galeria de honra.
1938 Artur Ramos republica suas principais obras no livro Costumes Africanos no Brasil.
1969 Jorge Amado publica o romance Tenda dos Milagres.
2006 Uma pesquisadora constata que o retrato de MQ foi removido da galeria do IGHB

Nenhum comentário: