sábado, 30 de julho de 2011

Bingo Beneficente na Casa Branca


 
Estaremos realizando um bingo beneficente no dia 07 de agosto. Além de concorrer a prêmios teremos a oportunidade de passarmos um dia descontraído e entre amigos. As cartelas estarão à venda no local e custam R$ 2,00 cada. Durante o evento estarão à venda comida e bebida.
Contamos com a sua presença.
Domingo, 07 de agosto de 2011  às 11h
 
Ylê Axé Iyá Nassô Oká (Terreiro da Casa Branca)
Vasco da Gama, 463
Salvador, Brazil

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Artigo de Mãe Stella: Ojó Ibaré – Dia da Amizade

Vinte de julho – Dia Internacional da Amizade. Substantivo tão cantado e contado, mas dificilmente encontrado. Milton Nascimento canta: “Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito”. Roberto Carlos diz que quer ter um milhão de amigos, para que mais forte possa cantar.

Impossível falar da amizade sem o substantivo correlato – amigo. Roberto Carlos pede um milhão, mas se conseguirmos apenas um já é bom demais, principalmente se este substantivo vier acompanhado de um adjetivo imprescindível: sincero. Na verdade, é impossível considerar alguém amigo, se ele não for sincero. Uma amizade assim sugere compreensão, perdão, capacidade de dizer não nas horas precisas, coragem de mostrar o que não se deseja ver. Amigo é aquele que entende o que o outro quer fazer, mas não necessariamente apoia: orienta e torce para que o caminho certo seja encontrado.

Pois não são apenas as opiniões semelhantes que fazem com que duas pessoas encontrem a amizade.

Um exemplo disso é a grande afinidade que une dois orixás de temperamentos opostos: Orumilá, que através da calma ajuda os homens a “aplainarem” seus destinos, e Exu que “quente como o fogo” auxilia criando confusões. A amizade tão cantada é agora contada: Orumilá viajava em comitiva e todos queriam ajudá-lo carregando sua sacola de divinação. Os “amigos” terminaram brigando entre si, fazendo com que Orumilá optasse por carregar seus apetrechos.

Orumilá não conseguia tirar aquele assunto da cabeça. Ele estava confuso a respeito de quem entre todos os que queriam ajudar-lhe era seu amigo de verdade e, por isso, resolveu fazer um teste. Mandou espalhar um falso boato de que ele tinha morrido. Muitos “amigos” apareceram para demonstrar o pesar à esposa de Orumilá. Cada um dizia que o referido orixá lhe devia dinheiro, o qual tinha que ser pago com o recebimento da sacola de divinação.

Escondido, Orumilá ouvia tudo aquilo com uma profunda dor. Foi quando apareceu Exu, tão pesaroso quanto os outros. A mulher de Orumilá lhe perguntou, então, o que seu marido devia para ele. Exu respondeu que simplesmente nada. Percebendo que a dor de Exu era verdadeira e desinteressada, Orumilá apareceu e disse: “Quando a afinidade com um amigo é grande, ele é considerado mais que um parente”.

Se não é fácil encontrar um amigo sincero, mais difícil ainda é ser um deles. Afinal, a arte da amizade implica que a índole seja pura, que já se tenha adquirido uma mente despoluída, onde não há lugar para a ambição, a mentira, a falsidade e outros pensamentos e atitudes dúbios.

É muito comum a amizade, que geralmente vem acompanhada de benevolência, aparecer nos momentos adversos. Nas tragédias que acontecem vemos pelos meios de comunicação brotar, momentaneamente, uma intensa e coletiva generosidade que, com a mesma intensidade que aparece, some. Pergunto-me: é generosidade real ou uma necessidade de acreditar que existe em si uma fagulha que seja de nobres sentimentos, que encubram tantos outros, como egoísmo, hipocrisia, hostilidade, inveja, indiferença? Muitos dizem que é na tristeza que se conhece um grande amigo. Será?

É para que nunca nos esqueçamos de cultivar o sentimento fiel de afeição e ternura para com os outros que foi instituído o Dia Internacional da Amizade. Esse dia foi escolhido por Enrique Ernesto Febbraro, que compreendeu o fato da chegada do homem à Lua, ocorrido em 20/7/1969, como uma prova significativa de que, quando as pessoas se unem, não existem obstáculos intransponíveis. Antes disso, esse argentino já havia divulgado o seguinte lema, enviando diversas cartas para diferentes países: “Meu amigo é meu mestre, meu discípulo e meu companheiro”.

Volto ao passado e lembro-me de uma antiga canção que diz: “Amigo, palavra fácil de pronunciar. Amigo, coisa difícil de se encontrar. Por isso se diz na frase tão usada: venha a nós e ao vosso reino nada”. Então vamos aproveitar este vinte de julho para refletirmos sobre maneiras saudáveis de construir e manter relacionamentos amigáveis com nossos semelhantes, é o que se diz em yorubá: baré.

Maria Stella de Azevedo Santos é Iyalorixá do Ilê Axé Opô Afonjá
Artigo publicado no dia 20 de julho de 2011, na editoria Opinião do jornal A TARDE

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Portal sobre ações afirmativas no Brasil

CEA
Foi lançado o site www.redeacaoafirmativa.ceao.ufba.br , onde constam
informações sobre a produção bibliográfica (dissertações, teses,
artigos, capítulos de livros), pareceres, resoluções, vídeos, fotos,
textos em jornais, e o quadro das universidades que adotaram as ações
afirmativas no Brasil. Trata-se de uma parceria envolvendo
pesquisadores de universidades federais (UFBA, Universidade de
Brasília, Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade
Federal de Sergipe) e estaduais (UNEB e Universidade Estadual de Mato
Grosso do Sul) na criação de uma rede de pesquisa para a avaliação do
sistema de cotas e das ações afirmativas para negros e indígenas na
educação superior pública.

------------------------------
----------------------------------
Universidade Federal da Bahia - http://www.portal.ufba.br

Arte e Cultura na Diáspora

quarta-feira, 13 de julho de 2011

CICLO DE PALESTRAS - PRECONCEITO NA FALA, PRECONCEITO NA COR

Intelectuais na Diáspora Africana pós-abolição (Brasil-EUA): As táticas antiracialistas de Manuel Querino e Booker T. Washington

com Sabrina Gledhill

e

Mulheres e Homens negros no poder: como proceder?

com Jaime Nascimento.


Dia: 27 de julho de 2011 às 17h.


Local: Instituto Geográfico e Histórico da Bahia – Piedade – Salvador – Ba.

Acompanhe maiores detalhes através do endereço HTTP://WWW.falaneguinhofala.blogspot.com.

Inscrições : através do e-mail preconceitonafalaenacor@bol.com.br.

Atenção – As inscrições deverão incluir no assunto, a expressão ” inscrição palestra preconceito” . Vagas limitadas. Serão fornecidos certificados pela participação.

sábado, 9 de julho de 2011

Texto inédito: Reflexões Sobre um Retrato de Manuel Querino de Sabrina Gledhill

No dia 13 de maio de 1928, a Casa da Bahia realizou uma sessão magna, quando “foi colocada na galeria de honra o retrato do reputado rebuscador de tradições”, ato acompanhado por palavras proferidas pelo Consócio Antonio Vianna, no lugar do “probo escritor e jornalista José Teixeira Barros”. Nas palavras do consócio, Manuel Raymundo Querino “Há de permanecer admirado na memória dos pósteros, íntegro pela honestidade com que soube investigar, exemplar na exatidão do dever, inexcedível na modéstia, que mais relevo deu ao seu valor, de que esta homenagem, de agora, é sereno julgamento".

Onde está esse retrato hoje?

Faça o download do artigo completo em PDF


http://svn.br.inter.net/5star/blogs/MQ_retrato.pdf

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Artigo sobre Manuel Querino e Booker T Washington publicado na revista Sankofa

Representações e Respostas: Táticas no Combate ao Imaginário Racialista no Brasil e nos Estados Unidos na Virada do Século XIX

de Sabrina Gledhill

Resumo
Este artigo visa mostrar como Manuel R. Querino e Booker T. Washington usaram por meios diferentes a iconografia do negro para enfrentar os discursos sobre raça e identidade nacional construídos pelas ideologias fundamentadas no racialismo, que também produziram registros visuais, como as imagens somatológicas encomendadas no Brasil e nos Estados Unidos por Louis Agassiz.
Palavras-chave: Manuel R. Querino, Booker T. Washington, iconografia